Sabem quando ficam em suspenso, às espera que algo entusiasmante aconteça? That's me! Nas últimas semanas é mais ou menos assim que me tenho sentido, num compasso de espera pelo concretizar de algo que quero muito. Daí que tenha suspendido tudo no mês de abril: o desporto, o blogue, a fotografia, os grandes planos para fazer isto e aquilo com os amigos, ou a família, pela simples dificuldade de me entregar de corpo e alma a outros projetos. Estou aqui, assim, meio parada, à espera que a vida se resolva por ela mesma, que as etapas avancem um dia mais do que no outro. Sinto que o mundo não tem pressa, mas eu estou em pulgas por dentro! 

Vou viver com o Sérgio, só os dois, finalmente. Daí esta necessidade de canalizar o meu tempo livre e energias para esse que é, agora, o plano maior de todos. Não tem sido fácil, porque o processo não arrancou muito bem. No dia da escritura tínhamos entre-mãos um rebuliço familiar tão grande que nem tive aquela sensação especial de felicidade que imaginei para esse dia, se ele chegasse. Estava completamente focada na família e só quando a minha avó saiu do hospital e a vida retomou, lentamente, o seu curso normal, pude finalmente pensar na casa nova. Contudo, o trabalho nessa altura era muito e roubava-me os dias e as energias. Adiei a questão da casa novamente, porque senti que o meu foco era e devia ser outro. A única certeza que tinha na altura é que queria as paredes pintadas de branco e uns estores de correr para colocar na marquise e quebrar o efeito estufa na parte da tarde. Tudo o resto ficou para decidir depois.  

Pelo meio houve a viagem aos Açores que nos forçou a uma pausa. Foi bom desligar de tudo, abrandar e ganhar novo fôlego. Foi quando regressei que me senti com coragem de olhar para a casa com olhos de ver e começar a fazer planos e a organizar tudo. Percebi que havia muito para fazer antes de nos mudarmos, e que metade não dependia de nós. Para o Sérgio está tudo bem, podíamos mudar-nos amanhã se eu quisesse, mas eu quero ir para uma casa sem pregos na parede, sem cortinados e de paredes brancas. Quero menos, quero o essencial, quero começar de novo, com ele. 

Ele fez-me a vontade no fim de semana: começou a arrancar os pregos, para adiantar trabalho ao pintor. Tirámos os cortinados que lá tinham ficado do antigo proprietário, e agora a luz já entra sem filtros. Caramba, estou mesmo desejosa de ver aquelas paredes sem buracos e pintadas de branco! E sim, também vou querer furar as paredes, mas com calma, ao sabor do tempo. Não temos pressa. Quanto aos cortinados, ainda não decidimos. Ele acha que sim, devemos ter, mas eu continuo a achar que é fantástico ter tanta luz a entrar, afinal foi o que que mais me cativou naquele T3 num terceiro andar sem elevador. :)

9 comentários

  1. Que todas as pausas a que a vida nos obriga fossem por algo tão bom - e espero que já esteja tudo bem com a tua avó! E que a tua casa tenha sempre luz: com ou sem cortinados!

    Confesso que estou um pouco no mesmo limbo, mas para já a solo. Tem é faltado um pouco a coragem para dar o salto, o medo do arrependimento, de sair do colo...a ver vamos :) estas coisas dão sempre bom resultado, não é? :)

    Jiji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é fácil sair do ninho, mas é um receio/entusiasmo bom. :)

      Eliminar
  2. Que sejam muito felizes. Sem pregos.
    (Com prega-fácil, vá)! :)

    ResponderEliminar
  3. Quero muito ter o meu ninho do amor. Que a vida te sorria muito e que todas as peripécias se tornem num momento feliz. Beijinho

    thebrunettetofu.blogspot.pt
    https://www.instagram.com/thebrunettestofu/

    ResponderEliminar
  4. Desejo-te tudo de bom :)

    Beijinhos, Pirilampos
    www.pirilamposemarte.com

    ResponderEliminar
  5. Sabia que a viagem aos açores iria ser revigorante =) agora força aí e vai mostrando uns work in progress, tenho a certeza que ficará uma casa lindíssima com o teu bom gosto.

    ResponderEliminar
  6. Tudo de bom para vocês, com ou sem cortinas ;)

    ResponderEliminar
  7. Great post, Darling! I really like photo! <3
    I'd be happy friendship blogs ♥
    Julia Shkvo

    ResponderEliminar
  8. É uma das fases mais entusiasmantes!
    Também ando nessa fase, e parece que fervilhamos por dentro só de imaginar viver plenamente na casa que adoramos!
    Seria giro fazeres um "antes e depois", quem sabe! ;)
    Felicidades!!

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.

Instagram